Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Expó 98 ---- Trabalho feito no dia 2-12-1996

por Rosa Guerreiro Dias, em 16.03.08

 VISÃO POETICA 

da 

 Poetisa Popular 

 

 

Fiquei ansiosa, quando ouvi falar, na transformação dos cais da cidade

Minha alma poeta deixei divagar. E agora em poesia vos conto a verdade

Visitei o cais que estava em expansão, nas águas revoltas, perdi meu olhar

O Tejo entoava uma bela canção, correndo feliz direitinho ao mar.

 

Em noventa e oito, há espanto e beleza, uma nova ponte atravessa o rio

Lisboa se orgulha de ser portuguesa, e este povo luso se enche de brio

Vai ser baptizada, um nome já tem "Vasco da Gama" se chamará então

Lisboa é a cidade que tem como mãe, o Tejo o padrinho que lhe dá a mão.

 

Já vejo CAMÕES cantando o passado, ALEIXO, BOCAJE, FLORBELA de então

O EÇA, PESSOA, MALHOA em seu fado, e os poetas de hoje choram de emoção

ALMEIDA GARRET, e CESÁRIO VERDE, estão chegando ao cais com um ar feliz

Rios de cultura p'ra matar a sede, a todos que chegam ao nosso país.

 

Nas águas do rio deslizam navios, repletos de história para nos contar

Tostados do sol, gretados dos frios, chegam homens lusos trazidos do mar.

D. Pedro, GIL EANES, ANTÃO, BARTOLOMEU DIAS, ÁLVARES CABRAL

DIOGO de AZAMBUJA e NUNO TRISTÃO. Homens navegantes do meu Portugal  

AFONSO de ALBUQUERQUE por tanto passou, governando a Indía com artes e manhas

PERO VAZ de CAMINHA a todos legou, uma nobre carta contando as façanhas.

Tantos, tantos mais estou visualizando;  Mas há um Rei das Indías para não esquecer

D. VASCO  da GAMA foi sempre em comando, um homem de luta, destreza e saber.

 

Ouço junto ao rio cantar o passado! Uma voz que encantou pelo mundo fora

AMÁLIA RODRIGUES rainha do fado. Que será para sempre um marco na história.

 

Vai ser um jardim a nossa cidade, de braços abertos, recebendo povos

Rendidos ao fado e à nossa saudade. Vão lusos, vão estranjas, vão velhos e novos.

 

O noventa e oito ficará na história, para as gerações que um dia virão

Passagens de vida que enchem de glória, todo o português de alma e coração

País pequenino, de alma tão grande, nosso povo luso será sempre igual

Viaja p'lo mundo espalhando a saudade, raizes e glórias deste Portugal.

 

 

                                                          Reservam-se os direitos de autor : 

                                                          Rosa Guerreiro Dias

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:53



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D