Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




SOLAR DOS ZAGALOS

por Rosa Guerreiro Dias, em 29.09.08

  

                 Solar dos Zagallos    

                      No Salão Nobre

                                      26-9-2008- 21H30

                                      Aconteceu

                               Poesia

           << OLHAR POÉTICO >>

                                        De

                                    Rosa Dias

 

               

 

Zagallos Solar de beleza

Na margem Sul pousado

Foi palco da camponesa

P'ra declamar o seu fado

 

Este CD de poesias

Vestido de singeleza

Fez renascer Rosa Dias

Numa rústica camponesa

 

E neste poético olhar

Canta a vida sem peneiras

Vai declamando a contar

O seu mundo sem fronteiras

 

Canta o amor de raiz

Espalha amizade ás carradas

Mostra em pureza e cariz

As boas e as más passadas

 

Mulher de penas sentidas

Conta a vida do seu jeito

Não são penas inventadas

São arrancadas do peito

 

Se há quem não queira lembrar

O seu passado distante

Esta poetisa mulher

Recorda-o constantemente

 

Não que seja saudosista

Nem retrógrada sequer

Mas sua alma de artista

Jamais a deixa esquecer 

 

Mulher de simples vivência

Conta a vida tal e qual

Sem rebates de consciência

Num Nobre Salão Real

 

***

Agradeço à <Alma Alentejana> o ter-me proporcionado este espectáculo num espaço lindo na Sobreda da Caparica, mais precisamente no <<Solar dos Zagalos >>.

Simpáticamente cedido pela Cãmara Municipal de Almada.

 Para quem vão os meus sinceros agradecimentos.

Bem -Hajam todos os que vão apoiando estas iniciativas de cariz popular.

 

Atenciosamente

Rosa Guerreiro Dias

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:05


2 comentários

De Luís Filipe Maçarico a 30.09.2008 às 22:56

Rosa Dias colheu uma bela semeadura, em que as palavras são respiradas e sentidas com uma entoação e emoção únicas. Tal como disse em Alpedrinha, "com a sua energia e o seu sorriso construiu um espaço ímpar na poesia de raíz tradicional portuguesa(...)trata-se de um belo CD, onde partilha com todos nós a sua maneira genuína de dizer a poesia que inventa. A voz é de nascente serena, com uma sensibilidade que celebramos, pela sabedoria que nos toca."
Um beijo de parabéns
Luís

De Rosa Guerreiro Dias a 30.09.2008 às 23:02

As palavras de um amigo servem de moldura á minha inspiração, venham de lá elas, para que eu continue a poetisar.
Agradecida Luis, por seres meu amigo.
Aquele abraço da amiga certa .
Rosa

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D