Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O VENTO MARCOU PRESENÇA

por Rosa Guerreiro Dias, em 14.07.08

Não era o vento suão;

 

Nem mau vento vindo de Espanha

Mas sim um vento manganão;

Que ali chegou cheio de manha.

*

Mais parecendo um furacão

Ganhou asas a ventania

Irrompendo p'lo serão

Dos amantes da poesia

*

A palavra lá saía

Empurrada pelo vento

Enquanto a poetisa sorria

Ao povo que estava atento

*

Dizendo, louvou sua gente

Dum jeito que a caracteriza

Ninguém ficou indiferente

Ao esforço da poetisa

*

Depois foi esse sorriso

Dum  povo sua raíz

E nada mais foi preciso

P'rá poetisa ser feliz

*

 

Autografando

Relembrando a sua gente

Trocando impressões com a Vereadora da Cultura

Ana Golaio

Assinando com o mesmo sentimento que faz poesia

E assim termina mais uma noite em Campo Maior.

Onde um turbilhão de sentimentos se envolveram num abraço.

Poesia

Amizade

Sentimento

Alegria

Saudade.

Tudo isto em movimento

sacudido pelo vento.

*

Mas não me dei por vencida

Mais forte que o próprio vento

Mais forte que a própria vida

É este meu sentimento

Que ao vento não dá guarida.

*

AQUELE ABRAÇO AO POVO DE CAMPO MAIOR, A QUEM AMO DE CORAÇÃO.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:52


2 comentários

De Paula Silva a 14.07.2008 às 21:18

Eu estive lá, com a amiga Rosa Dias... testemunhei o vento, mas também a expressividade única de quem diz poesia com a alma, fonte inesgotável de luz e de calor alentejano... Os aplausos foram um verdadeiro bálsamo... de reconhecimento, pela criatividade e força com que esta mulher faz e diz poesia única.
Bem-hajas Rosa por este Olhar Poético, pela hospitalidade, pelas histórias, pela amizade, pelo carinho.
Fui eu que tirei estas fotos, não fui??? Julgo que sim com a tua máquina.
Um Beijo caloroso...

De Rosa Guerreiro Dias a 23.07.2008 às 08:45

Agradecida amiga pelas palavras, pelo carinho. Quanto ao convívio , não será o ultimo se Deus quiser. Voltaremos a Campo Maior com mais tempo, quem sabe nas lindas festas do povo, para apreciarmos a arte deste povo, povo do qual eu vim, meu povo , nosso povo afinal de contas. Tu Paula e teu esposo foram também para nós uma agradável surpresa , de bons amigos e de bons compinchas, voltem sempre que a Vila é de todos e minha casa não tem trancas, e atrás da cortina há sempre um casal amigo esperando, para vos abraçar.
Bem - Hajam

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D