Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




MONSARAZ

por Rosa Guerreiro Dias, em 31.03.14

 

 

 

 

   

 

 

 Montexaraz

Monsaraz

 

Monsaraz

Já foste Montexaraz

Monte de Estevas

Os povos assim diziam

Foste Monte

Monte, ficaste

Porque xaraz, te chamaste

Plas estevas que em ti nasciam!

Como Monte

Lá bem distante

Os olhos da tua gente

Desejavam em ti viver

Gabavam a tua beleza

Por ver a Esteva florindo

Pouco a pouco foram indo

Ficando em ti com certeza.

E hoje, batido a vento

Montexaraz num lamento

Sobre as pedras do tormento

Suportando o casario

Vai perguntando a quem passa

Minhas estevas, onde estão?

Forraram de pedra o chão

Meu Monte perdeu a graça…

Mas, ganhaste em história

Em Glória

Montexaraz - Monsaraz

Consola-me, sentir-te eterno,

Meu lindo Monte sem par

Porque da Esteva branca flor

Alguém roubou sua cor

Para de branco te caiar…

 

Rosa Guerreiro Dias

3-3-2014

 

'' ALGUMAS DAS FOTOS FORAM RETIRADAS DA INTERNETE''

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:03


II VOLUME DE POETIZAR MONSARAZ

por Rosa Guerreiro Dias, em 31.03.14
POETIZAR MONSARAZ
Foto de Rosa Guerreiro Dias.
Foto de Rosa Guerreiro Dias.Foto de Rosa Guerreiro Dias.
Foto de Rosa Guerreiro Dias.
E foi desta bonita maneira, e com a minha falta.
Que se apresentou de improviso, e que belo improviso
não podia ser melhor! 
''O II Volume de Poetizar Monsaraz''
Rosa Guerreiro Dias
31-3-2014
   
APRESENTAÇÃO DO LIVRO
“POETIZAR MONSARAZ – VOL. II”
Reguengos de Monsaraz, 29 de Março de 2014

“Monsaraz exala o perfume dos 'Aloendros' 
Ecoa o canto das cigarras” 

Boa noite, e muito obrigado pela vossa disponibilidade para estarem presentes no lançamento do Volume II do livro ‘’POETIZAR MONSARAZ’’.
Antes de mais, queria enviar um abraço à Poetiza Rosa Guerreiro Dias, que por motivos de saúde não pode estar aqui presente para fazer a apresentação do livro como estava inicialmente previsto.

Chamo-me António Caeiro… e com muita pena minha posso dizer que não sou Alentejano.
Sou Alfacinha de nascença, mas há muito que adoptei o Alentejo “como a minha Terra”, sendo Monsaraz, em particular, uma das minhas Terras de eleição e neste caso uma Dupla Paixão. 

“Absoluto silêncio reina o momento contemplador” 

“Conheço um sítio, uma torre sentinela, uma pedra, uma lua cheia de solidão, um crepúsculo afogueado, um castelo cuja sombra se projecta na planície de água”
Palavras e sentimentos que se encontram escritos nas páginas deste, 
‘’POETIZAR MONSARAZ’’
A edição deste livro é o finalizar de um triângulo à volta de Monsaraz em que tive o prazer de coordenar.
O seu início remonta a 2012, e em que os seus vértices assentam nos três pontos seguintes:
1. POETIZAR MONSARAZ – VOL. I – o livro
2. MONSARAZ ENTRE O CÉU E A TERRA – a exposição de fotografia (com David Ramalho e João Fructuosa).
3. POETIZAR MONSARAZ – VOL. II – o livro

E é deste Volume II, … a seguinte passagem…

“Na pureza deste lugar
Posso ver o tempo que passa, que passou…”

Recordando…, o Volume I, começou a ser preparado na Primavera de 2012, e teve a sua aparição, em Setembro desse ano, na internet, mais precisamente no site MyEbook, onde actualmente conta com mais de 8000 visualizações.
Passou depois para o papel, onde foi apresentado a 26 de Janeiro de 2013 na Igreja de Santiago, em Monsaraz.
Para o Vol. I, os Poetas foram convidados a Poetizar a Vila e eu “colei” em cada um dos Poemas recebidos uma imagem captado por mim. 
Neste Volume II decidi fazer exactamente o contrário, os Poetas receberam as imagens, … minhas, do David Ramalho e do João Fructuosa e Poetizaram à volta delas.
O resultado desta ligação encontra-se reproduzido em 88 páginas com 36 fotografias e 33 Poemas, e que está a partir de hoje à disposição de TODOS, para que o possam apreciar.

Voltando às palavras dos Poetas que, 

‘’POETIZARAM MONSARAZ’’

“ É o Branco! É o Negro! É o Cinza, e o Azul. 
É a Calma, o Sossego, pousados no Sul”

Entretanto, quero aproveitar este espaço para agradecer a todos os que contribuíram, com o seu trabalho, para tornar realidade este 2.º Volume do POETIZAR MONSARAZ: 

Cecília Vilas Boas, David Ramalho, Inês Valadas, Isabel Vieira, João Fructuosa, José Luís Outono, Luís Filipe Marcão, Manuel Belo Silva, Manuel Manços Assunção Pedro, Manuel Sérgio, Maria Antonieta Matos, Maria Pereira Gonçalves, Maria José Lascas Fernandes e Rosa Guerreiro Dias.

À Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz, um agradecimento especial pelo apoio dado para concretizar estas ideias, que podendo ser de pouco dimensão, são na verdade de muito significado para todos os seus intervenientes.
Agradecimentos à Editora Coisas de Ler.

Entretanto, e antes de terminar aqui ficam mais umas passagens do ‘’ POETIZAR MONSARAZ…
“Conheço um lugar tripartido que atrás da objectiva capta e torna perpétuo, o momento, o gesto o instante raro”

“As estrelas acariciam as pedras nuas do casario e pela praça aberta avaranda-se o silêncio”
...
O silêncio das pedras, acrescento eu!
Continuando… 
E antes de ouvirmos o’’Grupo Coral da Freguesia de Monsaraz’’
(muito obrigado ao Senhor Joaquim Cardoso que desde logo aceitou o Convite para que o Grupo Coral marcasse presença nesta noite dedicada às palavras e às imagens da Vila de Monsaraz), damos voz aos Poetas!

António Caeiro
29-3-2014
Agradecida meus amigos, pelo belo texto, e pelo carinho que todos me dedicam, fico-vos a dever esta, vamos ver se posso pagar nem que seja com aquele abraço de amiga certa
Rosa G. Dias 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:43


ESPERANÇA

por Rosa Guerreiro Dias, em 09.03.14
Foto de Rosa Guerreiro Dias.  Foto de Rosa Guerreiro Dias. 
 Foto de Rosa Guerreiro Dias.  Foto de Rosa Guerreiro Dias.
  
Temporais 

Árvores se despindo
E as folhas vão indo
Dançando p’lo ar
Aves esvoaçando
Procurando abrigo
O chão se revolta
No fundo do Mar
P’ra nosso castigo!

Os Povos se agitam
Reclamam e gritam
Quase entram em guerra
Mas a mãe Natureza
Com sua firmeza
Poe ordem na terra!

Nos Céus! 
Ela estende um lençol, de azul profundo
E dissipa as nuvens
Como por magia 
Dá ordens ao Sol, para aquecer o mundo
E aos homens oferece, o nascer doutro dia.

Rosa Guerreiro Dias
10-2-2014

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:03


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D

subscrever feeds