Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




O GRANDE MOMENTO DE FÁTY E TONY

por Rosa Guerreiro Dias, em 23.04.10

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:35


SE EU FOSSE PINTORA

por Rosa Guerreiro Dias, em 21.04.10

 

Se eu fosse pintora

 

Pegava um pincel e da minha casa fazia um painel!

Dois braços abertos, eu começava a pintar

E um sorriso franco convidando a entrar.

A pender das janelas, vasinhos floridos

E espreitando por elas

Os meus amores queridos.

Há porta do quintal colocava um cartaz

Dizendo!

Poderás entrar se vieres em paz.

E pintava a alegria, logo ali na entrada

Onde as crianças poderiam brincar!

Sem medo de nada.

Na sala?

Na sala um pomar, com fruta bem pura

Onde quem entrasse tivesse fartura.

Em cada quarto?

Um jardim em flor

E as camas seriam, poemas de amor.

A linda Primavera?

P’ró quintal destinava

Com variadas flores, que a todos pasmava.

Suspensas das árvores, cadeiras “ vai – vem”

Onde os mais idosos

Dormissem a sesta, sentindo-se bem.

E enquanto dormiam!

Eu com as tintas da flor

Pintava a velhice, sem rugas, sem dor.

 

E só com esta pintura pintada a rigor

Minha casa seria!

Um recanto de amor.

E com várias cores e um fino pincel

Assinava com amor, esta obra em flor

Dum sonho em painel

 

Mas isto é um sonho! Que não sai do sonhar!

 

Mas eu poetisa! Com minha poesia!

Irei dia a dia! Meu sonho pintar.

 

 

 

Rosa Guerreiro Dias

 

24-4-1980

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:59


EU QUERO

por Rosa Guerreiro Dias, em 15.04.10

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:27


LOBOZINHO DISFARÇADO

por Rosa Guerreiro Dias, em 14.04.10

 

 


 

E

O toque da Sineta

 


Não faças por ver fazer

Ou porque é chique ajudar

Dá com alma, com prazer

Algo que tenhas p’ra dar


Quem deu dez, diz que deu cem

E tem que logo apregoar

Leva os dias num vaivém

Quer todo o mundo informar

 

Lá no fundo, sabem bem

Que assim não deviam ser

Mas vaidade neles, é lei

Na lei deles vão viver

 

Dádiva que vem de dentro

Só quem recebe, a verá

Não é apregoada ao vento

Nem badalada será

 

Só mais um pode saber

Toda a intenção escondida

É “Deus”, que nos vai escrever

No livro da morte ou da vida

 

Que favor estás tu fazendo

Que não pudesses fazer

Tens celeiros abarrotando

Tens o pão a apodrecer

 

Dás um, e sobram-te montes

Tudo te sobeja em fartura

Partirás antes que o contes

A vida é de pouca dura

 

Se pudesses, no teu ultimo segundo

E numa hipocrisia triste

Apregoavas ao mundo

Todo o bem que repartiste

 

Destes, há por aí com fartura

Santas falsas, falsos santos

Gente reles, que muito dura

Finam muitos; ainda há tantos…

 

Rosa Guerreiro Dias

 

15-1-2006

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:14


OLHANDO A PLANÍCIE

por Rosa Guerreiro Dias, em 13.04.10

 

 

A RAIZ

 

do


PÃO

 

 

Na planície deserta, a beleza é constante!

Beleza tão pura, e de encantos tais!

Onde o olhar se perde a cada instante;

Lá nos arvoredos!

Pouso de pardais.

 

A seara verde, me convida a entrar!

Para eu sentir na pele, a raíz do pão!

Vem o Sol bendito, meu rosto beijar!

E dizer-me ao ouvido!

Está chegando o Verão.


Alentejo amado por meu coração;

Acalmas-me a alma; alivias-me as dores!

Só tu és a musa desta inspiração!

E eu com as palavras!

Vou plantando flores.

 

Foi este silêncio, esta nostalgia

Que fez do teu povo, um povo poeta!

Que semeiam os campos com doce poesia!

Espalhando no vento!

Seu grito de alerta.

 

Vem o sopro da aragem, abanando a espiga!

Avivando a saudade a esta poetisa!

Trazendo-lhe à memória, quando foi rapariga!

E dando-lhe a certeza! que esta camponesa.

P'ra poder viver!

Pouco mais precisa.

 

 

Rosa Guerreiro Dias

4-4-2010

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:45


Páscoa

por Rosa Guerreiro Dias, em 02.04.10

 

Será

 

Será que acreditamos, que "Jesus" nasceu?

Que viveu e andou, entre a multidão?

Que pela humanidade, um dia morreu?

E que espantou o mundo, na ressurreição?

 

Será que "Jesus" foi visão dum instante?

Ou que seu espirito activo morreu, ao ele morrer?

Que a palavra da verdade, não foi relevante?

Ou será que o maior cego, é o que não quer ver?

 

Será que é o Sol, que guarda o segredo?

Aquele que nas ondas do Mar "Jesus" escreveu?

Aquele que faz a terra, estremecer de medo?

Tal e qual o trovão que das nuvens desceu?

 

Nós pobres mortais, sem rumo, sem rota

Vamos perguntando, será assim ou não?

Quando em nossa alma já está a resposta

"Sómente Jesus é a salvação"

 

Cada "Páscoa" que passa, se renova a esperança

Promessa de vida, que nos mantém em pé

Por "Deus" dada aos homens como sua herança

Mas somente herdada, por homens de fé.

 

 

Rosa Guerreiro Dias

2-4-2010

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:28


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D

subscrever feeds