Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




LÁ VEM A CEGONHA

por Rosa Guerreiro Dias, em 21.01.09

Informação

 

Do Parque Zoológico de Lagos

 

(Retirada através da

 

 

internete)

*****

 

Estatuto

 

de conservação

 

e factores de ameaça.

 

 

No nosso País a Cegonha branca é tradicionalmente respeitada e acarinhada pelas populações. Apesar disso, ocasionalmente ainda se verificam alguns casos de aves abatidas.

A principal causa de mortalidade em Portugal deverá ser no entanto a eletrocução em linhas de média e alta tensão. A contaminação com pesticidas, especialmente em zonas de arrozal, e o derrube de ninhos poderão constituir ameaças potenciais.

O que fazer para ajudar a cegonha branca?

Ajudar a cegonha branca é uma tarefa que está ao alcanse de todos nós. Vejamos algumas coisas que podem ser feitas nesse sentido:

A sensibilização das pessoas que estão à nossa volta para a importância de conservar as cegonhas é um acto relactivamente simples e que pode ser feito no dia a dia.

Por vezes pode ser preciso derrubar ninhos para construir estradas ou por qualquer outro motivo. Sempre que esse problema se colocar, deverá ser solicitada uma autorização ao Instituto de Conservação da Natureza.

Este, mediante o parecer dos seus técnicos especializados, decidirá se tal é possível e, em caso afirmativo, qual a melhor altura para o fazer e quais as contrapartidas necessárias para não prejudicar a espécie. Convém recordar que o derrube não autorizado dos ninhos de cegonha é crime.

Em alguns locais, a instalação de estruturas artificiais que facilitem a instalação dos ninhos pode ser um óptimo incentivo para a fixação das cegonhas.

 

"" Continuação de informação"" em ,

 

http://www.zoolagos.com/especies-animais_visitantes_cegonha.html

 

Para além do texto informativo.

 

Apesar da cegonha branca ser uma espécie de ocorrencia estival no nosso País, passando o Inverno no continente Africano.

Ainda assim algumas delas podem permanecer entre nós ao longo de todo o ano, especialmente no Sul, podemos dizer que a cegonha branca se tornou comum em Portugal.

 

No nosso Alentejo, a cegonha é uma ave querida e desejada

a demonstra-lo estão as belas canções populares, que o nosso povo canta, deixando-nos enternicidos.

Quando ouvimos dizer que estas aves são maltratadas e até apedrejadas, ficamos a pensar como é possivel esta barbaridade acontecer? é tão belo ver as cegonhas lá bem no alto das torres das belas igrejas das nossas aldeias e Vilas, parecem sentinelas em vigilia.

 

Vejam e ouçam o Slide que se segue.

E constatarão que esta, é uma das muitas formas de amar e bendizer a Natureza no caso em questão a Cegonha.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:46


Eu queria ser uma gaivota -JANEIRO DE 2009

por Rosa Guerreiro Dias, em 16.01.09

No posto de alerta

E de olhar atento

Lá estava a gaivota

Batida p'lo vento

 

Sem medo do frio

Na antena redonda

Ia olhando o rio

E fazendo a ronda

Atraz da janela, fiquei presa sim

Quando a ave bela, se virou p'ra mim

*****

Janeiro

 

E aí está Janeiro

Traz um sol matreiro

Fingindo aquecer

Mas o frio regela

Atravessa a porta

E até a janela

 

Nem manta de lã, nem o meu capote

Chegam p'ra tapar este frio do Norte

*** 

 

Eu queria ser uma Gaivota

 

  

             

Eu queria ser uma gaivota

Num vai e vem de marés

Não ter janela nem porta

No mar fingir-me de morta

Quando caisse a seus pez

 

Eu queria ser uma gaivota

Ouvir as ondas batendo

Nas rochas enegrecidas

Passar o tempo voando

Ir a terra de vez enquando

Como as gaivotas perdidas

 

Eu queria ser uma gaivota

Voar pelo espaço infinito

Dormir nas ondas do Mar

Ouvir apenas meu grito

Há tarde ou no madrugar

 

Eu queria ser uma gaivota

Uma gaivota do Mar

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:51


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D

subscrever feeds