Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




MANHÃ DE ABRIL

por Rosa Guerreiro Dias, em 21.04.08

 

O Abril da Esperança 

*****

***

 

*

Manhã de Abril

 

Numa linda manhã de Abril

Acordou tudo diferente

Saiu a lebre do covil

Encheram-se as ruas de gente

Da natureza soavam

Como um toque de alvorada

Passarinhos que cantavam

Ás quatro da madrugada

*

Passa a palavra na onda

Ergue-se o cravo encarnado

Ouve-se um grito! Que estrondo

Dum povo há muito calado.

Há timidez no falar

Há receio pois então

Mas logo se houve cantar

Solta-se a voz, ergue-se a mão.

*

Perde-se o medo, morre o receio

No povo velho e na mocidade

Tanta lágrima p’lo meio de alegria em liberdade

*

Corre a notícia veloz

Todo o craveiro floresceu

No meu povo renasce a voz

Primavera reviveu

E assim brilha o sol de novo

No meu país adorado

Abrem-se as bocas do povo

Do meu povo amordaçado.

*

Cresce o desejo ao poeta

Em dizer o que lhe apraz

Dum longo sonho desperta

Conta a guerra

Canta a paz.

*

Vinte e cinco de Abril chegou

Pondo um povo em liberdade

E da opressão que passou

Jamais sentirá saudade

*

Eu e tu militar luso

Que demos Liberdade ao povo

Fazendo dela bom uso

Não a perderemos de novo

*

Rosa Guerreiro Dias 

   25-4-1974 

*

 25-4-2008

 

*****

 

Cravos de Abril

 

 

***

Mulher dos cravos de Abril

*****

 

Celeste em Flor

 

*

Tu mulher de palmo e meio

De voz doce e olhar brilhante

Falas hoje sem receio

Desse momento importante

Foste o vaso, foste a terra

Onde o craveiro aflorou

E assim amainaste a guerra

A guerra que não sangrou

*

Com um molho de cravos na mão

Caminhaste na baixa á toa

Sem saberes da revolução

Que se passava em Lisboa

Há rua do Carmo chegaste

Viste soldados armados

Mas tu

Não te atrapalhaste

Ofereceste os cravos

Brancos e encarnados

*

Deste um cravo a cada mão

Mais nada tinhas para dar

E o tropa com emoção

Na espingarda o foi espetar

Com este gesto mulher

Trouxeste ao país glória

Não és uma mulher qualquer

Nem qualquer entra p’rá história

És somente portuguesa

Uma mulher em tantas mil

Mas só tu és concerteza

Mulher dos cravos de Abril

 

Rosa Guerreiro Dias

25-4-1999

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:30


5 comentários

De Rosa Guerreiro Dias a 25.04.2008 às 21:46

olá amiga.

De Rosa Guerreiro Dias a 25.04.2008 às 21:47

olá amigos

De Luis a 25.04.2008 às 22:16

Amiga Rosa: comento mais abaixo, comento aqui, com este são uma dezena de apreciações que tento registar sem efeito. Está a acontecer o mesmo que tem acontecido com os meus mails. Será que o meu nome já está na lista negra do seu PC?
Há uma revista de informática que saíu agora que aborda a contrução e manutenção de Blogs - creio que é o CD ROM FÁCIL e custa 3 euros e meio. Penso ser uma boa sugestão. As fotos estão bem à altura dos Poemas - uma verdadeira delícia. As falhas, não dei por elas. Espero que tenham gostado do convívio de hoje. Um abraço
O Alentejo não tem fim!

De Luis a 25.04.2008 às 22:17

Amiga Rosa: comento mais abaixo, comento aqui, com este são uma dezena de apreciações que tento registar sem efeito. Está a acontecer o mesmo que tem acontecido com os meus mails. Será que o meu nome já está na lista negra do seu PC?
Há uma revista de informática que saíu agora que aborda a contrução e manutenção de Blogs - creio que é o CD ROM FÁCIL e custa 3 euros e meio. Penso ser uma boa sugestão. As fotos estão bem à altura dos Poemas - uma verdadeira delícia. As falhas, não dei por elas. Espero que tenham gostado do convívio de hoje. Um abraço
O Alentejo não tem fim!

De Rosa Guerreiro Dias a 26.04.2008 às 16:33

Amigo Luis agora sim recebi seu email em duplicado rsrsrsrs só visto que se estava a passar não sei, agradecida beij.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D